13 novembro, 2018

MARANHÃO TEM NOVA DIRETORIA


No último dia 09.11.2018 a Regional Maranhão elegeu a nova diretoria para o biênio
2019-2010, que está assim composta:

PRESIDENTE: Hilmar Ribeiro Hortegal
VICE-PRESIDENTE: Michel Herbert Alves Florêncio
PRIMEIRO-SECRETÁRIO:  Maria do Perpétuo Socorro de Azevedo Veras
SEGUNDO-SECRETÁRIO: Márcia Silva Sousa
PRIMEIRO-TESOUREIRO: José Rafael de Oliveira
SEGUNDO TESOUREIRO: Sebastião José Saraiva Filho 

CONSELHO FISCAL (efetivos)
Antonio de Pádua Silva Sousa 
Arquimedes Viegas Vale
Mario da Silva Luna dos Santos Filho

CONSELHO FISCAL (suplentes)
Hamilton Lima Oliveira
Raimundo Ribeiro Barbosa
Érico Brito Cantanhede

Votos de uma gestão profícua! 

06 novembro, 2018

POSSE E PALESTRA EM PERNAMBUCO


Na reunião de 5 de novembro, da Sobrames de Pernambuco, tomou posse como sócio titular o médico sanitarista Dr. Ernando Alves de Carvalho. Ele tem vários livros publicados entre eles "A Pedra do Reino - a tragédia de virou festa". Escreve também literatura de cordel, tendo cerca de 95 folhetos publicados. O Dr. Ernando foi apadrinhado pelo Dr. Luiz Barreto ex-presidente da nacional da Sobrames. Na mesma oportunidade o Dr. Ernando fez uma excelente palestra sobre o "Sebastianismo no Brasil" . O presidente Dr. Luiz Coutinho deu posse ao novo sobramista. Participaram dessa reunião como convidados, o presidente da UBE Alexandre Santo, o historiador Miguel Meira, presidente do Centro de Estudos Municipais e o Dr. Marcelo Valença diretor do Memorial da Medicina de Pernambuco.

01 novembro, 2018

UNIVERSO LITERÁRIO PARA DOWNLOAD


Já está disponível para download gratuíto a VERSÃO DIGITAL em PDF do livro
UNIVERSO LITERÁRIO
com textos em prosa e verso de autores da SOBRAMES de suas diversas Regionais.
Para baixar gratuitamente clique no link abaixo:



Você também pode adquirir a EDIÇÃO IMPRESSA deste livro 
na Loja Virtual da editora clicando no link abaixo:



29 outubro, 2018

CONCURSO LITERÁRIO SOBRAMES-RJ



PRAZO TERMINA EM 10 DE NOVEMBRO

A SOBRAMES- RJ homenageia esse grande escritor brasileiro, considerado por muitos críticos, estudiosos, escritores e leitores um dos maiores senão o maior nome da literatura do Brasil.

REGULAMENTO
1- Poderão concorrer médicos e estudantes de Medicina do Estado do Rio de Janeiro, pertencentes ou não a SOBRAMES/RJ como participantes convidados e membros da SOBRAMES/RJ em dia com a anuidade 2018.
2 - Estudantes de Medicina concorrerão em categorias distintas, mas também por categoria literária.
3 - O concurso compreenderá as categorias de CONTO, CRÔNICA E POESIA.
4 - Cada concorrente poderá inscrever um trabalho por categoria literária.
5 - Os trabalhos deverão ser inéditos, não publicados e não premiados anteriormente. Serão julgados por uma comissão indicada pela diretoria da SOBRAMES/RJ, em caráter soberano e irrevogável.
6 - Os trabalhos deverão constar de, no máximo 03 páginas para contos, 03 páginas para crônicas e 50 linhas para poesias, digitados em espaço dois, em tipo Time New Roman ou Arial, tamanho 12, contendo um pseudônimo, diferente e inédito, para cada categoria. Os temas serão livres.
7- Os trabalhos deverão ser enviados em 03 (três) vias até 10 de novembro de 2018 (respeitada a data de postagem). Devem estar em envelope lacrado, que conterá também um envelope menor, também lacrado, este contendo ficha de inscrição com nome do autor, número de inscrição no CREMERJ, títulos
dos trabalhos, endereço completo, números de telefone e Email,
se houver.
Não deverá existir nenhum tipo de identificação do autor
no envelope externo, solicita-se que seja escrito apenas
se o autor é médico ou estudante.
O endereço do remetente deverá ser o mesmo do destinatário.
Os trabalhos das três categorias poderão estar no mesmo envelope.
8 - O endereço para remessa será SOBRAMES-RJ. Dr Carlos Almada
Rua Pedro de Carvalho 276, casa 8. Méier Rio de Janeiro. RJ.
Cep 20725-232
9 - Para cada categoria serão conferidas premiações, para primeiro, segundo e terceiros colocados.
10 - Contatos com a SOBRAMES/RJ: almadacarlos@ymail.com
A data da entrega dos prêmios ocorrerá dia 30 novembro,
sexta-feira das 19h às 21h no auditório do CREMERJ junto com
a Festa Anual da SOBRAMES.

A COMISSÃO ORGANIZADORA
Rose Matuk
Secretária Geral - da SOBRAMES –RJ
Lúcia Leite = Comissão Organizadora da SOBRAMES –RJ
Carlos Almada - Coordenador de Concursos da SOBRAMES-RJ
Paulo Fatal - Presidente da SOBRAMES-RJ
(Biênio 2017-2019)

MÉDICO E ESCRITOR



Médico escreve, é natural que o médico escreva, faz parte de sua formação e da sua profissão escrever. Histórias clínicas, hipóteses diagnósticas, relatórios, pareceres, laudos, atestados, receituários... o que os pacientes dizem ou respondem, os sons que ele percebe na ausculta clínica, na palpação, na percussão, tudo é transcrito para o papel ou para a tela de um computador.

A produção científica na medicina, publicada num sem número de revistas e periódicos, é a maior entre todas as profissões, disso não tenho  dúvidas. Mas não é dessa que trato aqui. Refiro-me à literatura não científica, produzida pelos médicos em todos os rincões do mundo e que nos propiciou conhecer nomes como Sir Arthur Conan Doyle, o criador do célebre detetive Sherlock Holmes, formado pela Universidade de Edimburgo; Anton Tchekhov, que cursou medicina na Universidade de Moscou e é considerado um dos maiores contistas de todos os tempos.  A sinergia dele com a medicina e a literatura se estabelece, de forma clara, na dualidade: “Fico satisfeito quando me dou conta de que tenho duas profissões, não uma. A medicina é a minha esposa legal, a literatura a minha amante. Quando canso de uma, passo a noite com a outra. Pode não ser uma situação habitual, mas evita a monotonia; ademais, nenhuma delas sai perdendo com minha infidelidade. Se não tivesse minha atividade médica, dificilmente poderia consagrar à literatura minha liberdade de espírito e meus pensamentos perdidos. Outro nome lembrado  é o de A. J. Cronin, autor do clássico A Cidadela, de temática tão atual como nunca. No Brasil, destacamos Guimarães Rosa, um dos nossos mais festejados escritores, autor de obras como Sagarana e Grande Sertão: Veredas, que se  formou  na Faculdade de Medicina da Universidade de Minas Gerais, sendo que chegou a ser Oficial Médico Militar. E Moacyr Scliar, gaúcho que  cursou medicina na Universidade Federal do Rio Grande do Sul com especialização em Saúde Pública, um dos mais produtivos autores nacionais, de obras portentosas como A majestade do Xingu, O imaginário cotidiano e A Paixão Transformada. Neste último livro, Moacyr Scliar reúne e comenta trechos de textos que, ao longo da história, registraram opiniões e fatos relativos à doença e à cura. Ao fazê-lo, com a acuidade de sempre e o humor contido que caracteriza sua prosa, resgata momentos privilegiados que assinalaram a trajetória da medicina e da luta do ser humano contra a doença. Diz ele: “A história da medicina é uma história de vozes. As vozes misteriosas do corpo: o sopro, o sibilo, o borborigmo, a crepitação, o estridor. As vozes inarticuladas do paciente: o gemido, o grito, o estertor. As vozes articuladas do paciente: a queixa, o relato da doença, as perguntas inquietas. A voz articulada do médico: a anamnese, o diagnóstico, o prognóstico. Vozes que falam da doença, vozes calmas, vozes revoltadas. Vozes que se querem perpetuar: palavras escritas em argila, em pergaminho, em papel. Vozerio, corrente ininterrupta de vozes que flui desde tempos imemoriais.”

Não poderíamos deixar de citar Joaquim Manuel de Macedo, autor de A Moreninha e Memórias de um Sargento de Milícias, um dos mais famosos romances de costumes da história da literatura brasileira, ainda no século XIX. Não é sem motivo que o escritor carioca é patrono da Academia Brasileira de Médicos Escritores – a ABRAMES.
  
Em Sergipe, essa participação de médicos na literatura não científica também é expressiva, só para citar Rodrigues Dória, Edilberto Campos, Ranulpho Prata, Abreu Fialho, Augusto Leite, Renato Mazze Lucas, Antônio Garcia, José Abud e Aírton Teles, só para citar os mais antigos.
  
Todo esse introito é pano de fundo para anunciar, com júbilo, o lançamento em 18 de outubro último – Dia do Médico - no Museu da Gente Sergipana, da segunda coletânea de prosas, poesias e contos da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores – Regional Sergipe – intitulada HUMANIDADES *, com a participação de vinte e sete médicos escritores vinculados às academias literárias e à própria instituição.  Mais de 200 pessoas compareceram à prestigiadíssima noite de autógrafos, com as presenças das maiores lideranças intelectuais de Sergipe, e de outros estados, a exemplo dos médicos escritores José Maria Chaves, do Ceará, ex-presidente nacional da SOBRAMES e Ildo Simões, da Bahia, que esteve acompanhado de mais dois colegas da Boa Terra.

No lançamento foi realizado um Sarau líteromusical com homenagem ao médico poeta Airton Teles Barreto, in memoriam e ao médico compositor César Faro, com participação de diversos artistas da terra. Foi uma noite radiante, que mostra toda a pujança da SOBRAMES Sergipe, hoje reconhecida e citada naturalmente nas rodas literárias, com forte presença na agenda cultural de Sergipe.

Médicos não só clinicam, operam, investigam, médicos escrevem, médicos fazem uma boa literatura. É o universo ampliado dessa dupla militância. Somente na Academia Sergipana de Letras, sem citar as demais academias, oito médicos atualmente integram o seu quadro, incluídos na lista esse escriba, mais o Dr. Sousa, que será empossado no próximo dia 30 de novembro. Além deles, o decano de todos, Francisco Rollemberg, José Abud, Eduardo Garcia, Marcelo Ribeiro, Marcos Almeida e Paulo Amado, recentemente empossado. Trata-se de uma consistente presença, que ilustra e dignifica a Casa de Tobias Barreto.
   
O famoso pintor espanhol Pablo Picasso dizia que há dois tipos de artista: os que transformam o sol numa simples mancha amarela e aqueles que fazem de uma simples mancha amarela o próprio sol. Por trazerem a sensibilidade para a literatura, muitas vezes como fruto  da prática diária da profissão, seus medos e anseios, o contato com a linha tênue que separa a vida da morte, o sofrimento e a dor, eles podem muito bem se enquadrar nessa segunda condição.

*Clique aqui e veja>>>>>  FOTOS DO LANÇAMENTO


27 outubro, 2018

REGIONAL SÃO PAULO LANÇA COLETÂNEA


Depois de meses de preparo e produção da obra, finalmente houve o esperado dia do lançamento da coletânea "A Pizza Literária - décima quinta fornada".

O evento aconteceu no dia 26.10.2018, na belíssima Pinacoteca da Associação Paulista de Medicina e contou com a participação de vários co-autores, dentre eles o Dr. José Itamar Abreu Costa, um dos quatros escritores de outras regionais presentes na obra, além de vários convidados que abrilhantaram e prestigiaram a noite.

O encontro teve clima festivo, contando com a música ao vivo da pianista e também co-autora, Dra. Mércia Lúcia de Melo Neves Chade. Serviu-se vinho e alguns petiscos. 

Num breve sarau, os autores presentes leram trechos de seus textos publicados no livro  entregue aos convidados que puderam, assim, ser incentivados à apreciação da obra.

26 outubro, 2018

REGIONAL CEARÁ LANÇA 35ª ANTOLOGIA


Realizou-se no dia 25 de outubro, no Auditório da Unimed de Fortaleza, o lançamento da Antologia "Lapso Temporal", da Regional Ceará.
A série de Antologias da Sobrames/CE teve o seu começo em 1981, conduzida pelos sobramistas desbravadores Paulo Gurgel e Emanuel de Carvalho, e agora, em 2018, atinge à sua 35ª produção, exibindo maturidade e qualidade consolidadas, com esmero literário, servindo para emular o aparecimento de novos escritores no meio médico.
A obra foi apresentada pela professora e escritora Révia Herculano, membro

da Academia Cearense de Letras e da Academia Fortalezense de Letras.


21 outubro, 2018

PREMIAÇÃO DO CONCURSO LITERÁRIO MÉDICOS DO PARANÁ


Encerramos na última semana o Concurso Literário Médicos do Paraná sob coordenação da Sobrames, e participação do CRM, AMP e Academia Paranaense de Medicina. Foram 135 participantes. Essa é a capa dos Anais. Lindo exemplar para a historia da literatura paraense se Médicos Escritores.
Sérgio Pitaki

Leia matéria completa clicando aqui>>> MÉDICOS DO PARANÁ

20 outubro, 2018

CONSTELAÇÃO MULTICOR NAS FITAS DO BOI DE LÁGRIMAS*

Por:
Josyanne Rita de Arruda Franco
Regional SÃO PAULO
Presidente Nacional 2017/2018
Presidente UMEAL 2018/2019
E-mail: josyannerita@gmail.com 








Levanta boi e vai preparar, junto aos cearenses, o magnífico Congresso que todos esperamos encontrar em Fortaleza. As ideias fervilham, a criatividade chacoalha os pensamentos e o corpo treme ao impulso do trabalho, mas calma: o próximo Congresso encontrará a atual Presidente da SOBRAMES engrossando as fileiras da assistência, preparada para aplaudir, com igual entusiasmo, o belo e inesquecível acontecimento que certamente será apresentando pelos cearenses em 2020.
      
Vai boi, vai rodar o mundo, girar tuas fitas cheias de brilho, cor e alegria. Faz o chão tremer e balança a nossa bandeira, dizendo da nossa SOBRAMES a quem possa interessar.
      
Foram estes os pensamentos que nos assaltaram a emoção ao começarmos a escrever para o Blog: saudar o Presidente eleito, os novos dirigentes da diretoria executiva maranhense e os Vice-Presidentes das Regiões que, escolhidos para o desfio de consolidar regionais nos estados do Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul do amado Brasil, abraçaram a causa da SOBRAMES, aceitando a demonstração de amizade e confiança oriundas de convites feitos pela futura gestão.
      
Desejávamos somente oferecer votos de estrondoso sucesso, manifestando o desejo de que realizem um trabalho profícuo e engrandecedor nas searas que serão percorridas a partir de 01 de janeiro de 2019, pois foi o Congresso magnífico está fartamente comentado e celebrado em fotos, matérias e artigos, que podem ser encontrados nas mídias sociais disponíveis, continuando, assim, a ser um presente para todos.
       
No entanto, a constatação de que os aviões que cruzaram os céus do mundo e do Brasil trazendo os congressistas, mal taxiaram nas pistas e já voltavam para casa, causou espanto... Nem bem havia sido feita a integração entre ideias, estilos, costumes e hábitos, concordâncias e divergências que tornavam singular cada congressista, e era momento de retornar. “Sabiá já mostrou seu canto [...] Levanta boi e vai [...] que boi também chora... Le le le le le le le le le le....” Ê boi!
      
Centenas de pensamentos foram se adicionando às lembranças da recente maratona literária, permeadas por um cansaço indolente, nostalgia dos recentes dias onde estivemos ancorados na beleza, envolvidos uns com os outros, adornados de privilegiadas prosas e grandiloquentes poesias. Palestras que possibilitaram conhecimento e reflexão, intervalos recheados de risos e troca de experiências, cafés e outras refeições que se traduziram em confraternização festiva de amizade e literatura.
      
Foi a partir das lembranças evocadas no começo da madrugada do dia 23 de setembro do ano corrente, um domingo anunciando ressaca, que esta pequena saudação ao Congresso e seus participantes começou a ser delineada como ideia, mas esperou que os sentimentos ainda em ebulição amadurecessem, sequiosos que estavam do apaziguamento para as emoções despertadas. Agora já faz um mês e poderemos tentar...
      
Aconteceu que, na última noite, o retorno ao hotel contou com mais uma passageira, uma presença silenciosa e intrometida que conseguiu se dividir entre os dois ônibus de congressistas, e também acompanhar aqueles que voltaram para suas casas em seus veículos particulares: a Saudade se fez presente... Costuma nos comover até chegarmos às lágrimas, então vamos deixá-la dizer o que ela precisa falar.
      
O filme das lembranças começou com a rememoração do dia 22 de setembro, que acabara de abraçar o evento de encerramento. A esplêndida escadaria do lugar escolhido para a festa estava adornada com pendentes de cristal em seus dois lados e recebeu a maioria das delegações dos estados participantes para as fotos que se imortalizariam nos registros do Congresso em imagens emocionantes de pleno contentamento.
       
Foi exatamente por ali, nas escadas, que em dado instante, as fitas coloridas do Bumba Meu Boi começaram a se agitar alegremente, trazendo a magia da batida de todos os sotaques do folclore maranhense.
      
Nenhum dos convivas conteve a emoção da surpresa que extravazava do olhar extasiado, empolgação e alegria que invadiram o salão de baile, contágio imediato. O Bumba Meu Boi desceu os iluminados degraus acompanhado do vaqueiro e dos índios, todos traziam os símbolos oficiais da SOBRAMES: a bandeira, a faixa presidencial e a medalha do presidente.
      
O vaqueiro fez uma breve anunciação em versos:

A Presidente da SOBRAMES/ a doutora Josyanne/ a todos mandou avisar/ que a direção da SOBRAMES/ de mãos precisa mudar./Presidir  Médico Escritor/ não é tarefa que é mole,/ mas o doutor Arquimedes/ começa  em 2019./ Se vocês acham que é pouco/ e ouviram tudo o que eu disse,/ saibam que essa alegria/ vai até 2020./ Palmas para o nosso doutor,/ e viva o Maranhão! / Dança, Bumba Meu Boi/ e alegra essa Gestão. (JRAF)
      
Ali estava a apoteose da noite, guardada em segredo e a sete chaves pelas Presidentes da Nacional e da Regional MA da SOBRAMES, cumplicidade que teve um surpreendente e encantador resultado para todos os que ali estavam.
       
A posse com pompa e circunstância do Presidente eleito e a diplomação da Diretoria, permitiram momentos marcantes sob os aplausos efusivos de todos.
      
Na sequência, os vencedores do concurso literário receberam o belíssimo e original Troféu Sabiá, homenagem ao imortal poeta Gonçalves Dias, diplomas e certificados. Os participantes internacionais receberam medalhas, símbolos de reconhecimento e respeito pelos esforços envidados na participação que conferiu prestígio à SOBRAMES, estreitando a amizade e os laços literários.
      
O espetáculo programado teve continuidade, alegrado pela banda de músicos que apresentou, em noite animada, diversidade de gêneros musicais e ritmos que levaram os convivas à pista de dança, respondendo ao apelo de abrir as asas e soltar as feras até o fim da festa, como a primeira música executada pelos artistas convidou.
     
O sábado inteiro já havia trazido diversos compromissos, horas recheadas de palestras e apresentações literárias. O fôlego da “juventude experiente” não se esgotava.
      
No intervalo para o almoço daquele sábado foi distribuído o livro Universo Literário, maneira que a atual presidente encontrou de prestigiar e agradecer a colaboração das diretorias regionais na caminhada de divulgação e promoção da SOBRAMES. 
      
Após a pausa para o almoço, a Assembleia Geral Ordinária, atividade imperiosa por ocasião dos Congressos, elegeu o novo Presidente, a diretoria executiva e o conselho fiscal por ele compostos, estabelecendo, por aclamação a sede da futura Jornada e a sede do futuro Congresso.
      
O City Tour, realizado após a A.G.O.  que avançou pela tarde, apresentou a Ilha do Amor aos participantes que, a cada momento, mais se encantavam com São Luís e com o maravilhoso evento que a cidade albergava. Uma jornada que marcou a história da SOBRAMES, mas não encontrava fadiga entre os participantes em seu terceiro dia.
      
Mesmo depois de um frenético dia anterior, o lindo 21 de setembro, onde uma sucessão de textos em prosa e verso imergiu autores e audiência no fantástico universo das palavras encantadas para depois resgatá-los, o auditório permaneceu cheio, com ares e humores renovados.
      
E, nos intervalos da intensa jornada da referida sexta-feira, a companhia dos amigos e o degustar de gostosuras encontraram parceria na exposição de livros e artesanato, ponto de encontro que coloriu o salão em frente ao auditório durante as breves pausas. O jantar da noite foi celebração memorável, que em nada arrefeceu o ânimo dos convivas que aproveitaram incansavelmente todas as oportunidades.
      
Naquela noite iluminada e quente, amenizada pela brisa suave que perfumava as estrelas e pelos respingos da Fonte da Sereia, durante o jantar todos saborearam prazerosamente as finas iguarias do cardápio oferecido. Uma animada apresentação de congressistas ao piano reuniu ao redor do instrumento muitos outros artistas, fazendo coro aos sucessos da música nacional e até da internacional, cantoria alegre que deu mais sabor à noite.   
      
Momentos de euforia fecharam mais um dia de Congresso. Mesmo que todos estivessem inebriados pela forte lembrança das atividades do dia, ainda havia o rescaldo memorável da noite anterior, quando foi iniciado o evento.
       
Uma bela cerimônia de abertura tornou o dia 20 de setembro marcante, importante e inesquecível. Houve a execução do Hino Nacional Brasileiro e do Hino da SOBRAMES (letra dos sobramistas Ilnah Soares e música de Simão Arão Pecher), seguidos pela saudação da Presidente da Regional do Maranhão, Dra. Márcia da Silva Sousa, palavras da Presidente da SOBRAMES, Dra. Josyanne Rita de Arruda Franco e abertura oficial pelo Dr. Arquimedes Viegas Vale, Presidente do Congresso.
      
Para ilustrar o evento e demonstrar aos convidados como seriam as sessões literárias que se sucederiam nos dias seguintes, houve apresentação do médico escritor português Dr. José Manuel Bento Sampaio, que declamou o poema Sinais.
      
A apresentação do Coral São João executando os Hinos e as músicas folclóricas, despertou a alegria da plateia e iniciou a bela festa da SOBRAMES que encontraria de imediato, sob a regência de Fernando Xerém, o viço e a beleza da confraternização seguindo os três dias de Literatura e Tradição em São Luís.
      
Findada a cerimônia, todos participaram do jantar de congraçamento, saboreando as iguarias maranhenses e, quem sabe, também sentindo o aroma convidativo das sessões literárias que teriam início na manhã seguinte, um festival onde brilhariam estrelas de todas as cores.
      
A memória recente quer nos dizer ainda do desembarque na capital do Maranhão, cheios de felizes expectativas, rumando ao Grand São Luís Hotel, ávidos pelo reencontro com confreiras e confrades dos diversos estados do Brasil e também com os representantes de Moçambique, Portugal, Uruguai e Macau, na China, uma parte do intenso trabalho iniciado antecipadamente e que então rendia bons resultados.
      
Mas é necessário retroceder ainda mais na avalanche de lembranças para constatar que foi muito antes, há quatro anos, que todo o trabalho foi verdadeiramente iniciado.
      
No Congresso de 2014 em Recife, durante a Assembleia Geral Ordinária, a cidade de São Paulo foi eleita para sede em 2016. A Regional SP abraçou o desafio de realizar um evento que consolidasse a importância daquela escolha e a indicação da atual presidente da SOBRAMES como presidente do futuro Congresso. Coroado de sucesso, sedimentado no apoio de uma diretoria atuante e disposta, o evento em São Paulo foi um primor de organização e resultou escolha de São Luís para a futura sede.
      
Quatro anos de um trabalho que começou modesto e percorreu quarenta e oito meses em grande atividade, viagens exaustivas e preciosos contatos. Produtivo percurso que requereu renúncias pessoais até então impensáveis, mas consolidou com brilho a Gestão 2017-2018 com espetacular Congresso. Tem sido uma gestão agregadora e perseverante que encontrou na Regional MA, o trabalho efetivo de um generoso e brilhante expoente da SOBRAMES.
      
E o que o encontro ofereceu para se diferenciar de tantos outros Congressos?
      
A pergunta foi respondida hora a hora durante toda a estada em São Luís, na ocorrência cotidiana da boa literatura, no entrosamento, na confraternização, nas surpresas e ofertas de brindes aos confrades e confreiras, onde foram demonstrados zelo, gratidão e afeto para com cada congressista, regalos oferecidos com gentileza e cortesia pelos organizadores do Congresso.
      
Quem estava sério sorriu; quem muito sorriu chorou; quem de emoção chorou logo se abriu em sorriso... e o riso a ninguém mais deixou. Isso é a SOBRAMES!
      
Se em algo falhamos, é porque nem tudo são flores em um jardim bem cuidado. Se as falhas não foram percebidas, o conjunto da obra fosse bem conduzido e o equilíbrio esteve de braços dados com a harmonia. O XXVII Congresso foi acontecimento antológico para a nossa incomparável confraria.
      
Este artigo de homenagem e memória ao evento e seus participantes, foi propositadamente escrito começando pelo fim da história, porque quase sempre é o fim que fica na lembrança das pessoas que ouvem ou leem um relato. Desta feita, pedimos às memórias afetiva e temporal que se exercitem e não se esqueçam da trajetória percorrida, para que o futuro da SOBRAMES esteja alicerçado nos registros de suas mais destacadas atividades.
      
A X Jornada da SOBRAMES acontecerá em 2019 em São Paulo, capital, e o XXVIII Congresso terá como sede a cidade de Fortaleza, no Ceará. Preparem-se! Vamos conferir ainda mais brilho e o destaque que a Sociedade Brasileira de Médicos Escritores SOBRAMES merece.
      
No Brasil há muitos médicos que escrevem bem e muito escrevem, porém, um sobramista reconhece a si quando saúda outro sobramista, é o nosso lastro.  
      
Seremos sempre SOBRAMES!
      
Sigamos!
                                           
Josyanne Rita de Arruda Franco
Presidente da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores SOBRAMES (2017-2018)  
    
*Alusão ao Boi de Lágrimas - Raimundo Macarra, citações e intertextualidade.  



18 outubro, 2018

REGIONAL SERGIPE LANÇA "HUMANIDADES"



No Dia do Médico, lançamos a nossa segunda antologia: HUMANIDADES. 
Um sucesso total!
Mais feliz ainda com a presença de seis médicos sobramistas de outros estados (Ceará e Bahia). Dos nossos sobramistas, em torno de 44 dos 51 associados.
E de mais de 200 pessoas no Museu da Gente Sergipana, entre escritores, médicos, dirigentes de academias literárias e científicas.
Um realização que muito me emocionou. Nada é mais gratificante que receber esse reconhecimento!

Lúcio Antônio Prado Dias

Clique aqui e leia também o artigo >>>> MÉDICO E ESCRITOR

Seguem mais algumas fotos do evento







04 outubro, 2018

REGIONAL ALAGOAS PROMOVE CONCERTO MUSICAL


Como parte das comemorações do mês dedicado ao médico, a Sociedade Brasileira de Médicos Escritores, regional de Alagoas, promoveu no dia 03.10.2018 um Concerto de Música instrumental com o conceituado maestro Julião Marques.

A reunião festiva e comemorativa aconteceu na centenária Sociedade de Medicina de Alagoas, próximo a Estação Ferroviária de Maceió, reunindo membros daquela regional sob  a presidência do Dr. Jorge Luiz Soares Melo. 

15 junho, 2018

O SILÊNCIO DA RESPONSABILIDADE

Por:
Josyanne Rita de Arruda Franco
Regional SÃO PAULO
Presidente Nacional 2017/2018
Presidente UMEAL 2018/2019
















“Os que sonham de dia conhecem muitas coisas
que escapam aos que sonham somente de noite.”
                                                               Edgar Allan Poe

Um período de viagens tomou de mim o tempo necessário ao exercício de escrever e produzir textos que me dessem alguma garantia de que a literatura faz parte do meu cotidiano e de que algo que eu escreva possa ter alguma repercussão entre meus pares de ofício na Sociedade Brasileira de Médicos Escritores-SOBRAMES. Senti falta.

No entanto, as tantas horas de deslocamento para aeroportos, a permanência neles e os longos voos dos últimos três meses também foram parte da preciosa responsabilidade de presidir a SOBRAMES. O resultado compensou o cansaço das viagens.

Recife, Belém e Macapá foram capitais visitadas que acolheram com muita deferência a presidente nacional. Em Portugal, a companhia de membros da Regional Sergipe no Sarau de Lisboa tornou o mês de maio repleto de inesquecíveis momentos, coroados com visita à Sociedade Portuguesa de Escritores e Artistas Médicos (SOPEAM).

Nos intervalos das viagens, muitas correspondências também viajaram eletronicamente entre continentes, estreitando laços de amizade e literários, promovendo a Sociedade e convidando confrades e confreiras de outros países para o XXVII Congresso da SOBRAMES em São Luís do Maranhão.

O conteúdo das conversas durante as visitas (e mesmo o das correspondências) é quase sempre o mesmo: a dificuldade que todos encontramos para sensibilizar colegas talentosos a produzir literatura e a participar das confrarias que fomentam tal atividade. O envelhecimento dos membros atuantes e a pouca produção literária coletiva ou individual regem a orquestra do desalento e da apatia que, ainda assim, insistimos em não deixar florescer.

Um talento não deveria se manter adormecido, mergulhado na penumbra do silêncio, imerso na solidão do que não se compartilha. Há muita gente escrevendo, comunicando, disseminando ideias de vários espectros, utilizando todas as mídias disponíveis para divulgar sua arte. Também nós temos a responsabilidade de oferecer respostas ao nosso ofício de ser um Médico Escritor, seja pelo fato de assim mantermos viva a nossa SOBRAMES quanto pela necessidade de humanizar ainda mais a nossa prática, fazendo com que os olhos da ciência se voltem às batidas do coração que se apaixona pela experiência da vida, tornando-a verso e prosa.

A láurea acadêmica que remete ao panteão da glória a trajetória profícua de um médico que se dedica ao estudo e a excelência de sua prática profissional, torna-o exemplo e referência entre seus pares, um mérito incontestável. No entanto, a mansidão de seu espírito ávido e sensível pode transportá-lo para o universo de muitas outras palavras, atingindo o mundo não científico daquele que o lê, estabelecendo uma conexão ímpar com o que é simplesmente humano, uma proeza literária.

Se o mundo está mais vazio e doente, talvez precisemos fazer ecoar novamente a voz da responsabilidade, apropriando-nos da antiga e milenar riqueza que é buscar responder aos tantos apelos de uma sociedade que tem recrudescido ao básico e ao primitivo, mesmo ante todo o aparato tecnológico que facilita a informação, quiçá porque não se deixa afetar pela beleza da comunicação das boas ideias e dos bons sentimentos, recursos nobres que sempre existirão na linguagem que pode construir novos e inspirados mundos.

Ao ofício de escrever! Deixemos registrada a nossa arte, fortalecendo e divulgando a Sociedade Brasileira de Médicos Escritores-SOBRAMES.

Sigamos!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...